Excavations 2014


This is a temporary blog for presenting the excavations of 2016 at Perdigões. Posts from 2011 to 2015 are still available.

Tuesday, 24 May 2016

0162 - F1, D16

No depósito de materiais dos Perdigões temos vindo a preparar algumas peças para poderem ser mostradas no âmbito das actividades do Dia Grande. Neste caso o André segura uma haste de cervídeo do Sepulcro 2 que estivemos a remontar.


Este par, do Hipogeu 1, conserva ainda a parte superior do crânio do cervídeo cortado em círculo e poderá ter pertencido a um adereço usado em práticas ritualizadas.


Já no campo, limpámos e iniciamos a escavações de um conjunto de depósitos exteriores a qualquer estrutura negativa, demonstrando que eles existem nos Perdigões. Neste caso, um primeiro depósito que é posterior à estrutura circular (porque lhe encosta) e um outro que lhe é anterior (e onde ela assenta).


Finalmente começámos a tapar a área escavada, pois amanhã é o último dia desta primeira fase. Voltaremos em Julho.


Monday, 23 May 2016

0161 - F1, D15

Hoje, no Diário de Notícias, uma reportagem sobre a colaboração do projecto FCT dos Perdigões sobre mobilidade com um outro projecto FCT da Universidade do Minho. Clique sobre a imagem.



Sunday, 22 May 2016

0160 - F1, Descanso


Núcleo prismático para lamelas em quartzo hialino.

Saturday, 21 May 2016

0159 - F1, D14

De um lado definindo um verdadeiro pavimento de pequenas pedras e fragmentos cerâmicos.


Do outro escavando a estrutura circular. Chegou-se à sua base em dois quadrantes e... nada. Alguns fragmentos cerâmicos e faunísticos, mas muito poucos (para os parâmetros dos Perdigões).


E ao terceiro quadrante a situação não se alterou. Apenas se confirma a presença de uma fossa ovalada que corta o depósito inferior do enchimento da estrutura. Veremos o que dá.


Para já é um aborrecimento para quem gosta de definir a natureza dos contextos com base no que neles existe. Ou talvez não seja, pois as ausências são tão preciosas como as presenças nas definições contextuais. Não ficam é tão bem nos museus e no Facebook.

Friday, 20 May 2016

0158 - F1, D13

Hoje avançou-se na escavação da estrutura circular e da outra (a da concentração de cerâmicas). Mas isso fica para amanhã. Hoje falo de uns preparativos para o Dia Grande (Solstício de Verão) e de algumas observações interessantes.

No solstício vamos estar nos Perdigões ao nascer do Sol. Para observar o posicionamento da porta NE relativamente a esse evento colocámos na entrada um poste com 4,5 metros de altura. Não só permitirá observar a relação entre a orientação da porta e o actual local do nascimento do Sol no horizonte, como observar o prolongamento da sombra no interior do recinto.


 E permitiu ainda outra coisa. Verificar que no fundo da cabana semicircular escavada o ano passado (localizada no centro dos recintos) e no alinhamento entre o seu poste central e outro localizado cerca de 25m para Este (seta da direita), o limite NE da parede dessa cabana (onde está o André) se encontra alinhado com a entrada NE do recinto externo (seta da esquerda).


Tal já havia sugerido: que esta estrutura pouco mais que semi-circular replica a visibilidade proporcionada pelo anfiteatro natural em que se encontram os recintos dos Perdigões.

É assim. Os sítios e as suas arquitecturas são "em relação".

Thursday, 19 May 2016

0157 - F1, D12

Definido o topo da muro, hoje foi dia de realizar o registo para ortofotografia da estrutura circular e retomar a sua escavação. Os pequenos restos de cobre não param de aparecer.




Foi também dia de realização de um pequeno vídeo promocional da actividade relacionada com os Perdigões e que está integrada no Dia Grande organizado pelo Esporão. Dia Grande é o do solstício de Verão que, como é sabido, está reflectido nas arquitecturas dos Perdigões. Razões não faltam para vir aos Perdigões nesse dia e visitar, por exemplo, esta estrutura (aberta aos equinócios).

Tuesday, 17 May 2016

0156 - F1, D10

A escavação foi retomada ontem. Ou melhor, hoje. Porque ontem foi dia de limpar os estragos causados pelas chuvas da semana passada. Cortes abatidos, lamas, poças de água nos plásticos, etc. Depois de deixar as coisas secarem um pouco, hoje já foi dia de limpezas "mais finas" e de retomar a escavação.


A estrutura circular está agora mais bem definida.


Tuesday, 10 May 2016

0155 - Interrupção, Dia 4


Fragmento de um pequeno "copo" em osso, que se apresenta queimado. Está decorado com as tradicionais caneluras junto ao bordo seguidas de um reticulado. Foi recolhido no topo do Fosso 10, fosso já datado entre 2900-2700.
Especulação: Mais uma evidência de contactos com a Estremadura?
Facto: Mais de 20% dos indivíduos presentes nos Perdigões já submetidos a análises de estrôncio revelam níveis que caiem dentro do espectro local da zona de Torres Vedras.

Friday, 6 May 2016

0154 - Interrupção, Dia 2



Botão de perfuração em "V" em marfim, proveniente do Fosso 7 dos Perdigões. Os materiais em marfim são abundantes nos Perdigões, revelando uma vez mais a importância da interacção a longa distância. Todavia, estes materiais ocorrem sobretudo nos contextos funerários. Esta peça é, para já, a única registada num contexto não funerário.

Foi já publicado na World Archaeology um artigo sobre estes objectos nos Perdigões:
Valera, A.C., Schuhmacher, T.X., Banerjee, A. (2015), “Ivory in the Chalcolithic enclosure of
Perdigões (South Portugal): the social role of an exotic raw material”, World Archaeology, 47:3, 390-413. DOI: 10.1080/00438243.2015.1014571.

Thursday, 5 May 2016

0153 - Interrupção Dia 1

Para os aficionados do projecto Perdigões, mas naturalmente também para todos os outros, decidiu-se preencher este interregno até dia 16 (dia em que voltaremos a estar no campo) com algumas imagens de materiais do sítio acompanhadas de alguns comentários. Para ajudar a passar o tempo e a manter a ligação a um trabalho que, para nós, é em permanência.

Aqui fica um recipiente cerâmico proveniente do Fosso 8, de cronologia do Neolítico Final. Trata-se de uma decoração à base de caneluras incisas verticais e que, na raridade decorativa da cerâmica dos Perdigões (e da região), é um dos motivos mais representados no sítio nesta cronologia.


E esta é uma das questões interessantes relativamente ao desenvolvimento do Neolítico: porque razões após uma altíssima percentagem de decoração das cerâmicas no Neolítico Inicial, as etapas seguintes se caracterizam por uma raridade na decoração das mesmas durante o Neolítico Médio, Final e mesmo Calcolítico. Passa-se de 50%, 60%, 70% para 1% ou menos. E no Norte de Portugal isso não acontece, com as percentagens a manterem-se acima dos 60% / 80%.


As diferenças estéticas e de preenchimento de espaços (logo perceptivas, cognitivas e de comunicação) que caracterizam Norte e Sul de Portugal podem muito bem remontar à Pré-História, bem antes das diferenças de base religiosa e cultural introduzidas na medievalidade.

0152 - F1, D9 - Interrupção

Ao 9º dia temos que interromper a escavação. Um dilúvio nocturno e a previsão de mau tempo para os próximos dias tornam impossível continuar a escavação, pelo que decidimos parar e regressar dia 15 deste mês. Até breve, portanto.

Wednesday, 4 May 2016

0151 - F1, D8 - Avançando

Hoje avançámos na escavação da estrutura circular e na área mais Oeste da sondagem. Nesta última zona apareceu um fragmento cerâmico decorado com "pastilhas repuxadas".


Trata-se uma decoração rara em Portugal, embora esteja referenciada também na Beira Alta e na Estremadura. Já havia um fragmento nos Perdigões, recolhido em 1997. Trata-se de uma decoração típica do Languedoc em França e também algo comum na bacia do Guadiana em Espanha. A sua presença nos Perdigões pode ser mais um indicador da forte interacção com territórios mais ou menos distantes que este sítio vem evidenciando e cuja caracterização motivou o projecto sobre mobilidade humana, de animais e de objectos aprovado e financiado pela FCT.

Já a estrutura circular começou a ser escavada no seu interior com base numa divisão em quadrantes. No seu interior, como no exterior, têm sido registados inúmeros restos de cobre.





Tuesday, 3 May 2016

0150 - F1, D7 - A "enorme" descoberta

Aqui fica a "grande", senão mesmo "enorme", descoberta do dia realizada pelo André Texugo.



Um mini vaso recolhido na camada que cobre a estrutura circular. São já vários os mini vasos, mesmo muito mini, registados nos Perdigões e em todas as cronologias que podemos definir para o sítio: Neolítico Final, Calcolítico e Calcolítico Final / Bronze Inicial. O que representam estes pequenos vasos? Faltam bons contextos e sobram especulações (sendo que a especulação, em ciência, não é um problema, antes uma oportunidade).

Monday, 2 May 2016

0149 - F1, D6 - Em ritmo de cruzeiro

A escavação vai avançado em bom ritmo. A estrutura circular está quase toda definida (falta uma pequena margem a Oeste).


Apresenta uma perfeita geometria circular com 3m de diâmetro. Certamente construída a partir de um eixo central e com corda a definir o círculo perfeito. Porquê um raio de apenas 1,5m para uma parede de 0,75m? Eis uma questão que se espera poder abordar a partir do conteúdo da estrutura.

Está igualmente definido e parcialmente escavado o depósito que a cobre e que apresenta uma grande aglomeração de materiais (bem visível na imagem acima).

Um detalhe deste depósito: uma conta de "perda verde" recolhida hoje.